segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Fim de ano é tempo de caixinha

Pois é, o fim de ano esta próximo, muito próximo. Com ele, vem aquela palavra já bem conhecida em centenas de estabelecimentos: caixinha.

Não importa o modelo, com babado em volta, de madeira, sapato ou mesmo aquelas decoradas com biscuit, tem pra todos os gostos.

Bom, mas para quem não gosta de depositar nada nesses recipientes, resta, então, ir atrás das suas próprias caixinhas. Estas, bem caras.

Estou falando das fabulosas caixas de filmes, discos ou livros que infestaram o mercado neste ano, e outros que já rodam de águas passadas.

Vale destacar que, a não ser que você esteja disposto a desembolsar uma bela grana, é bom nem passar perto desses mimos incríveis.

Alguns (de música) que saíram no ano passado e neste:
O canto da Cigarra nos Anos 70 (Simone)- 11 primeiros discos remasterizados, com faixas bônus, depoimentos da cantora e historia de cada disco. Em média R$ 190,00.

Salve Jorge (Jorge Bem Jor)- 13 primeiros discos, que ele lançou pela Philips, mais um duplo com raridades de 63 até 76. Em média R$250,00.

Camaleão (Ney Matogrosso)- Essa é uma das melhores. São 15 discos de carreira, mais Brazil Night/Montreux 83, com Ney, João Bosco e Caetano Veloso, e um disco com 21 raridades. Todos apresentam textos com curiosidades e depoimentos do cantor, além da parte gráfica, que apresenta capa, contra capa e os rótulos dos vinis originais. Foi um trabalho de três anos do pesquisador e produtor musical Rodrigo Faour. Em média R$ 300,00.

Quarenta anos Caetanos e Todo Caetano (Caetano Veloso)- A segunda, conta com 41 discos. Vai de 1967, com Domingo (Gal e Caetano) até Eu Não Peço Desculpas (Caetano e Jorge Mautner), de 2002. Fora os brindes, como o disco Bicho Baile Show, com Caetano e Banda Black Rio, de 1978 e um disco com singles.
Já a outra se trata de um pacotão, imenso mesmo. São quatro caixas. A terceira, lançada neste ano. A primeira compreende o período 67/74, a segunda é de 75/82 e a ultima é de 83/94. Todas apresentam os discos de trabalho e um com raridades.
Os preços variam muito. Já vi por R$1.300,00 até R$ 800,00 (Todo Caetano) e R$ 550,00 até R$300,00 (Quarenta anos Caetanos).

Wilson Simonal na Odeon (Wilson Simonal)- Essa é a mais em conta. Foi lançada em 2004, mas saiu de circulação dois anos depois. Relançada agora, na onda do filme e da biografia de Simonal. Contém nove discos, lançados de 1961 até 1971, e um disco duplo com raridades. Além de um livreto recheado de informações e fotos. Em média R$110,00.

Tem também aquelas preciosidades que já estão fora de catálogo, podendo serem encontradas ainda escondidas em lojas espalhadas por aí. Estou falando das caixas Mesmo Que Seja Eu (Erasmo Carlos) e os dois box de Nara Leão. Tremenda raridade e preços nada módicos.

É claro que tem muitas outras caixas que você encontra por aí, como a de Chico Buarque, Gilberto Gil, Dorival Caymmi, Nelson Gonçalves, RPM, Clara Nunes, Mário Reis e tantas outras. Tem pra todos os gostos, mas não pra todos os bolsos.

É isso aí, pessoal!

Um comentário:

Carla disse...

Opa! Estou esperando meu presentinho do Simonal! Uhuu!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails